Cálculo da taxa de lotação dos piquetes no sistema rotacionado

03/11/2017 10:19

O correto manejo dos piquetes é um ponto fundamental para o sucesso de um sistema de pastejo rotacionado. A taxa de lotação é um dos fatores que devem ser observados neste sistema. Ela diz respeito ao número de unidades animais (UA) que podem ser colocadas por hectare ou piquete. Cada unidade animal corresponde a 450 kg de peso vivo.

Outro fator que influencia a taxa de lotação é o tipo de forrageira. Cada espécie tem um potencial de produção que vai definir quanto de forragem estará disponível para os animais se alimentarem, conforme tabela abaixo:

Tabela 1: Valores de referência de produção de matéria seca (MS) das principais forrageiras tropicais.

Espécie forrageira Valores de referência (ton de MS/ha/ano)
Capim-brachiarão (Brachiaria brizantha cv. Marandu) 20 a 25
Capim coast cross (Cynodon dactylon) 18 a 20
Capim colonião (Panicum maximum) 18 a 20
Capim elefante (Pennisetum purpureum) 40 a 60
Capim Mombaça (Panicum maximum cv Mombaça) 40 a 50
Capim Tanzânia (Panicum maximum cv Tanzânia) 30 a 40
Capim tifton (Cynodon sp.) 18 a 20
Capim tobiatã (Panicum maximum cv. Tobiatã) 40 a 50

Fonte: Embrapa, 2006.

Como exemplo para o cálculo da taxa de lotação, vamos considerar os seguintes fatores:

Um pecuarista tem uma área de 10 ha com Brachiaria brizantha cv. Marandú onde cria vacas de leite. O manejo adotado para os piquetes será de 30 dias para o período de descanso e 2 dias para o período de ocupação.

Temos:

  • Número de piquetes = (30/2)+1 Número de piquetes = 16.
  • Área de 10 ha = 100.000 m2
  • 100.000 m2 / 16 piquetes = 6.250 m2 por piquete

Saiba mais sobre como calcular o número de piquetes em Sistema de pastejo rotacionado para gado leiteiro - Como fazer?

Como no exemplo utilizamos a Brachiaria brizantha, consideramos uma produção média de 20 toneladas de matéria seca/ha/ano (conforme Tabela 1).

Desta forma, partimos para o cálculo da taxa de lotação/piquete.

Etapa 1 – Cálculo da disponibilidade de matéria seca na época das águas

Disponibilidade de MS nas águas/ha = Disponibilidade de MS/ha/ano x (1 - Estacionalidade)

A estacionalidade diz respeito à variação da produção na época seca e nas águas; considera-se 10%, portanto na fórmula colocamos 0,1.

Temos:

  • Disponibilidade de MS nas águas/ha = 20.000 kg/ha/ano x (1 - 0,1)
  • Disponibilidade de MS nas águas/ha = 18.000 kg/ha/ano

Etapa 2 - Cálculo da quantidade de pasto disponível para ser ingerido/dia/ha:

Quantidade de pasto disponível/dia/ha = [Disponibilidade de MS nas águas/ha x (1 - perdas de pastejo)]/180 dias

A perda de pastejo é a quantidade de forrageira que sobra após o pastejo dos animais. Varia de 30 a 40%. No nosso exemplo vamos considerar 40% e na fórmula usaremos 0,4.

  • Quantidade de pasto disponível/dia/ha = [18.000 kg/ha x (1- 0,4)]/180 dias
  • Quantidade de pasto disponível/dia/ha = 60 kg MS/dia

Etapa 3 – Cálculo da quantidade de UA/ha

Quantidade de UA/ha = (Quantidade de pasto disponível/dia) / (consumo/UA)

O consumo de forragem pelos animais vai depender da qualidade. Em caso de pastagens tropicais, como os capins do gênero Braquiária, Panicum, Cynodon, os animais tendem a comer de 1,8 a 2,2% do seu peso vivo em matérias seca. Se for utilizado pastagens de clima temperado, como azevém e aveia, o consumo é maior, chegando a 2,5% do peso vivo em matéria seca.

Em média, considera-se que cada Unidade Animal consome 10 kg MS/dia.

Assim:

  • Quantidade de UA/ha = 60 kg MS / 10 kg MS
  • Quantidade de UA/ha = 6 UA/ha

Etapa 4 – Cálculo da quantidade de UA/piquete

Cada piquete tem 6.250 m2

Temos:

  • 10.000 (1ha) m2 ---------------- 6 UA
  • 6.250 m2 -------------------------- X
  • x = 3,7 UA/piquete

Desta forma, pode-se colocar 3,7 UA/piquete na época das águas.

Sistema Pastejo Rotacionado Gado

Vale a pena ressaltar que na época da seca, a produção de forragem é menor, portanto a taxa de lotação deve ser reduzida de 70% a 90%. A adoção de um sistema de irrigação minimiza a queda na capacidade suporte dos piquetes, ou seja, embora a taxa de lotação seja reduzida no período seco, esta redução será menos drástica.

Outro fator importante a ser considerado é o formato dos piquetes. Como regra, o comprimento de um lado do piquete não pode ser 3 vezes maior que o outro lado. Se os piquetes forem muito estreitos, o pastejo é muito desuniforme. O ideal é que os piquetes sejam em formato quadrado. Para encontrar o comprimento do lado do piquete, basta calcular a raiz quadrada da área como no exemplo abaixo:

  • Lado do piquete (m) = √6.250
  • Lado do piquete (m) = 79

A taxa de lotação tem grande importância para o manejo dos sistemas de pastejo rotacionado. Em condições de taxa de lotação acima do recomendado, ocorre o superpastejo, que leva ao esgotamento da pastagem, podendo chegar ao ponto de faltar alimento para todos os animais. Além disso, o superpastejo pode levar a degradação da pastagem pelo seu uso intensivo.

Pelo contrário, quando a taxa de lotação está abaixo da recomendada, ocorre o subpastejo, o que representa menor produção de animais/ha e aumento das perdas de forragem. O capim não pastejado vai crescer mais, resultando em maior proporção de caule e reduzindo a qualidade do capim.