Nabo Forrageiro: Opção para o inverno como cobertura de solo

29/03/2018 11:22

Por José Pinsetta

Engenheiro Agrônomo

O clima seco característico do inverno brasileiro diminui a oferta de pastagens e impossibilita a produção de algumas culturas nesta época do ano. Para contornar este problema, certas culturas são recomendadas para plantio no inverno, pois são menos exigentes em condições hídricas para seu desenvolvimento. O nabo forrageiro é uma cultura versátil que pode ser utilizada tanto para a alimentação animal, quanto para a cobertura e adubação verde do solo.

Características do Nabo Forrageiro

Nabo ForrageiroO nabo forrageiro, nome científico Raphanus sativus L, é uma cultura de inverno, ou seja, pode ser cultivada na entressafra, época de baixa ocorrência de chuvas. Tem boa resistência à acidez de solos e tem sido muito empregada nas regiões sul, sudeste e centro-oeste do Brasil.

É uma planta herbácea de crescimento ereto e bastante ramificada. Apresenta folhas com alta pilosidade e inflorescências terminais com flores brancas e roxas. Seu sistema radicular é do tipo pivotante, onde uma raiz principal cresce atingindo cerca de 2m de profundidade no solo.

Descompactação do solo

Seu sistema radicular profundo faz com que seja uma planta útil na descompactação das camadas mais profundas do solo e também na recuperação de nutrientes em profundidade (entre eles, nitrogênio, fósforo e potássio); os mesmos são absorvidos pela planta e disponibilizados na superfície do solo por ocasião da incorporação do nabo como cobertura vegetal.

É uma excelente opção como cobertura vegetal, pois é bastante precoce e agressiva no que se refere à cobertura do solo, chegando a cobrir cerca de 70% dele em até 60 dias após o plantio. Desta forma, também diminui a incidência de plantas daninhas, o que resulta em economia com aplicação de herbicidas e mão de obra com capinas. Sua produção de massa verde varia de 40 a 60 toneladas/ha e pode produzir até 500 kg de sementes/ha (com teor de óleo entre 40 e 54%).

Cultivo do Nabo Forrageiro

Sendo assim, é uma cultura indicada para o uso em práticas de conservação do solo, como o plantio direto na palha e o cultivo reduzido ou mínimo, deixando uma boa quantidade de nitrogênio no solo para as culturas que serão plantadas posteriormente. Quando a finalidade é a de adubo verde, o nabo forrageiro deve ser roçado na época de florescimento que ocorre cerca de 60 dias após a semeadura. Nesta fase, ele apresenta uma produção de massa seca na faixa de 2000 a 6000 kg/ha.

No que se refere aos fatores ambientais, as temperaturas mais baixas de ocorrência no inverno durante o crescimento da planta, favorecem a indução para florada e assim, uma elevada produção de sementes. Na ocorrência de temperaturas altas, a floração é mais precoce e o ciclo da cultura é encurtado.

Época de plantio

O plantio deve ocorrer entre os meses de abril e maio, época em que ainda há certa ocorrência de chuvas que vão propiciar um correto desenvolvimento inicial da planta e consequentemente uma maior produção de massa verde. É recomendado um espaçamento entre linhas de 20 cm a 40 cm, caso a finalidade seja forragem ou cobertura do solo.

No caso de produção de sementes, é recomendado um espaçamento maior. Na semeadura são empregadas em média 25 sementes/m linear e gasto de sementes de 3 a 15 kg/ha, que vai depender do sistema de plantio se é feito a lanço ou por plantadeiras. Devido ao fato das sementes de nabo forrageiro serem muito pequenas, é necessário que seja feita a mistura com calcário ou superfosfato simples, utilizando uma mistura de 1 kg de sementes para 50 kg de corretivo ou fertilizante.

É considerada uma cultura rústica no sentido de apresentar baixa ocorrência de pragas e doenças, não sendo necessário o seu controle.

Nabo Forrageiro na Alimentação Animal

Para a alimentação animal é uma alternativa bastante viável, uma vez que pode ser utilizada para pastejo direto ou então cortada para ser fornecida no cocho aos animais. Além de sua capacidade de produção de massa verde, também pode ser fornecida a torta para alimentação animal.

A torta de nabo forrageiro (resultado da extração mecânica do óleo dos grãos), possui um alto valor de mercado, pois é isenta de resíduos de solventes usados para extração de outros tipos de óleos, e tem um elevado teor de proteína bruta, chegando a 25%, com alto valor energético.

O nabo forrageiro pode ser usado no consórcio com outras culturas de inverno como a aveia, centeio e ervilhaca, seja para a produção de forragem ou para a adubação verde. Ainda seu plantio é recomendado como cultura antecessora de algodão, feijão, milho e soja.

Uma outra utilização do nabo forrageiro, pela intensidade e duração da florada (cerca de 30 dias), é de pasto apícola. A produção de mel de alta qualidade é mais uma alternativa de mercado e fonte adicional de renda para o produtor.

Portanto, o nabo forrageiro é uma alternativa para a produção de forragem na época seca do ano. Apresenta uma série de vantagens pois pode ser utilizado para pastejo, alimentação no cocho ou fornecimento de torta após extração do óleo dos grãos. Além disso, é uma excelente opção para a adubação verde do solo, melhorando as propriedades físicas, químicas e biológicas do mesmo.