Como dimensionar um gerador de energia? Confira aqui!

09/03/2018 13:36

Por Bruno Baptista Nunes

Engenheiro Agrícola

É impossível descrever a sensação de, no meio do trabalho ou dos afazeres domésticos, sermos surpreendidos por uma repentina falta de energia elétrica. Já imaginou como seria a sua vida se não dependesse mais dessas eventualidades? De possuir o seu próprio gerador de energia? Será que é possível ter um desses na sua casa, propriedade ou empreendimento? Nós da Galpão Centro Oeste vamos te ajudar com algumas dicas:

Como escolher um gerador de energia?

O mercado possui as mais variadas marcas e capacidades de geradores, que variam devido à voltagem gerada (110v, 220v, 380v), tipo de fase (trifásico/ monofásico), às potências máximas e nominais, tipo de partida (elétrica/ manual), alimentado à diesel ou gasolina, entre outros.

Você terá que analisar bem o tipo de gerador que comprará, para que tenha certeza que que ele irá atendê-lo da melhor maneira possível. Por exemplo, geradores à diesel são ideais para maiores potências, geralmente mais robustos e exigem menos manutenção; enquanto os geradores à gasolina são mais fáceis de operar, mais leves e ideais para potências menores.

Dados Importantes:

Um bom dimensionamento é essencial para o bom funcionamento do gerador de energia. Se subdimensionado, pode provocar excesso de fumaça e consumo excessivo de óleo lubrificante, enquanto se superdimensionado ocasiona superaquecimentos e paradas constantes. A faixa ideal de trabalho é entre 30% e 70% de sua capacidade nominal.

É muito importante que você tenha os seguintes dados em mãos na hora da compra para que, com a ajuda de um profissional, você aproveite ao máximo as características do equipamento:

  • Quais são os tipos de carga predominantes no local (motores de indução, iluminação...);
  • Características físicas do local (área interna ou externa, alta temperatura...);
  • Qual o regime de utilização (emergencial ou uso frequente, quantas horas ao dia).

Além desses, para o cálculo do dimensionamento, você terá que verificar as placas dos equipamentos que serão ligados pelo gerador. Os dados das potências de funcionamento e de pico desses aparelhos são muito importantes, assim como a corrente elétrica e voltagem de funcionamento.

Na plaqueta de cada equipamento, conseguimos a informação da potência em W (Watt). Se for um equipamento resistivo (lâmpadas, chuveiro, aquecedores, televisão), esse é o valor que você irá utilizar. Se for um equipamento indutivo, que possui algum motor, você terá que, simplificadamente, multiplicar esse valor por quatro vezes. Isso ocorre devido ao pico de energia que esses equipamentos necessitam quando dão partida.

Cálculo para dimensionar o gerador de energia

Como comentado anteriormente, para consideração no cálculo serão utilizados os valores de potência em W que podem ser verificados nas placas dos equipamentos. Para os equipamentos resistivos, o valor de pico e nominal é o mesmo. Para os equipamentos com características indutivas, faremos uma simplificação da carga de pico para 4 vezes a carga nominal.

Para um entendimento mais claro, segue um exemplo:

Gerador emergencial para residência

  • 1 Aquecedor elétrico x 2.000W = 2.000W uso normal
  • 6 Lâmpadas fluorescentes 60 W = 360W uso normal
  • 1 Computador = 300W uso normal
  • 1 Geladeira = 300W uso normal
  • 1 Computador loja = 800W
  • 1 Motor 1CV = 750W uso normal / 3000W uso pico

Total = 4.510 W / 6.760 no pico

Gerador Energia Como DimensionarSeria necessário um gerador de no mínimo (4,5KVA x 130% ) = 5,8 KVA para utilização normal. No pico de partida, 6,7KVA x 130% = 8,7KVA, se forem iniciados simultaneamente.

Nesse caso, como haveria somente um equipamento indutivo com o pico, poderíamos ligá-lo sozinho e anteriormente aos outros equipamentos, o que resultaria em torno de 4KVA (contando o acréscimo de 30%). Após alguns instantes, o motor trabalharia com a potência nominal e o usuário poderia ligar os outros equipamentos.

Outro dado muito importante para levar em consideração no momento da compra é a autonomia de trabalho. A autonomia está relacionada à capacidade do reservatório e ao tempo em que ele consegue trabalhar com essa reserva.

Vamos supor que selecionamos o gerador X para a residência do exemplo acima. Ele tem capacidade para 15 litros,  trabalhando em 6KVA (utilização normal) e que possui autonomia de 12 horas. Um outro modelo poderia ter um reservatório menor, uma autonomia menor, porém suficiente para a sua necessidade (e mais barato).

Outro ponto importante é qual equipamento utilizar para o cálculo. Se o usuário estiver procurando um gerador emergencial, para caso tenha uma queda de energia de alguns minutos, seria interessante não considerar equipamentos como ar condicionado, chuveiro, aquecedores elétricos, que possuem uma potência muito alta, não são urgentes, e demandariam um gerador mais poderoso, e consequentemente muito mais caro.

Se refizermos as contas do exemplo acima sem o aquecedor elétrico, abaixamos a demanda de potência de 4,5KVA para 2,5KVA, ou seja, quase metade.

Concluindo...

Este artigo não tem a pretensão de torná-lo um dimensionador de geradores elétricos. Para isso, recomenda-se sempre um especialista, que verificará a sua real demanda, o cabeamento e a segurança da instalação e do sistema. Queremos somente deixá-lo mais familiarizado com o assunto, e preparado para dar as respostas certas, que auxiliarão em um melhor dimensionamento.

A equipe da Galpão Centro Oeste está disponível para tirar todas as suas dúvidas em relação aos geradores de energia, além de oferecer equipamentos das melhores marcas no mercado, como Branco, Toyama e Matsuyama, nos mais diversos modelos que se adequarão à sua necessidade.