Capim Massai, por qual pastagem substituí-lo em tempos de preços altos?

10/11/2016 16:02

Alternativa ao Capim MassaiSe você está procurando uma alternativa ao capim Massai e não sabe qual a melhor opção, o cultivar BRS Tamani pode ser a escolha certa. A palavra “tamani”, da língua africana falada no Quênia, significa “precioso”. Algumas características da forragem fazem jus ao nome.

O BRS Tamani é o primeiro híbrido da espécie Panicum maximum criado pela Embrapa. O processo de desenvolvimento da forragem foi meticuloso e durou uma década. Após ser avaliado em algumas unidades da Embrapa em mais de cinco estados, a forragem já foi devidamente reconhecida e registrada no Ministério da Agricultura, já estando disponível para comercialização.

Ela foi apresentada pela primeira vez no ano passado (2015), durante a feira Dinâmica Agropecuária (Dinapec), em Campo Grande. A forragem foi escolhida por causa de características como o porte baixo, a grande produção de folhas de alto valor nutritivo (com elevado teor de proteína bruta e digestibilidade) e resistência a pragas e doenças. Foi provado que a planta tem alta resistência às cigarrinhas das pastagens, no mesmo nível das cultivares Massai e Tanzânia. A beleza também é uma de suas virtudes.

Em condições de baixas temperaturas, é mais resistente do que o capim Massai, o que o torna superior neste quesito. A qualidade do Panicum maximum BRS Tamani faz com que seja comumente indicado também para a atividade de engorda, principalmente no cerrado. Para quem quer diversificar a pastagem nesse bioma, a cultivar é a escolha certa. Além do cerrado, a forragem foi avaliada também na Mata Atlântica e na Amazônia, destacando-se por sua qualidade.

Apesar das semelhanças do capim BRS Tamani com o capim Massai (fácil manejo, porte baixo e certa rusticidade), o novo capim tem maior valor nutritivo e melhor perfilhamento, ou seja, suas folhas possibilitam uma melhor cobertura do solo. A Embrapa recomenda o BRS Tamani para solos de média a alta fertilidade, ou após o cultivo de lavouras anuais em solos de baixa a média fertilidade.

Com relação à sua produtividade, segundo dados de pesquisa da Embrapa, o capim BRS Tamani produziu um volume de 15 toneladas de MS (Matéria seca foliar) por hectare ao ano, destacando-se por apresentar 90% de folhas e alto valor nutritivo, com destaque ao teor proteico, 9% mais elevado do que o cultivar Tanzânia, mostrando-se ainda mais digestível que o mesmo no período das águas (em torno de 3% superior, quanto ao aproveitamento).

Com relação ao capim Massai, o BRS Tamani tem sido mais vantajoso também com relação ao preço: as sementes do Massai atingiram valores de comercialização relativamente altos nesta safra devido a “quebra” de produção ocasionada por adversidades climáticas.

Quem planeja plantar o BRS Tamani em sua propriedade, segundo especialistas, precisa observar que a forragem deve ser manejada preferencialmente sob pastejo rotacionado, com períodos de descanso iguais ou menores que 28 dias. É preciso também monitorar o solo e os adubos com ajuda de um Engenheiro agrônomo para garantir a produtividade. Normalmente é indicada a aplicação de cálcio, magnésio e fósforo na pastagem. A adubação está relacionada ao nível de produção desejada de carne ou de leite. Para atingir altas produtividades é necessário maior aporte de nutrientes e um acompanhamento mais frequente. Fique atento ao que o seu Engenheiro agrônomo diz e aproveite o que o capim BRS Tamani pode oferecer de melhor.

Trabalhamos com as sementes originais do capim BRS Tamani, com os melhores preços do mercado. Faça o seu pedido! Em caso de dúvidas, fique à vontade e envie uma mensagem para atendimento@galpaocentrooeste.com.br ou ligue para (61) 9 8225 3031.