Você sabe o que é Milho Safrinha?

16/02/2017 10:53

Mapa Milho Safrinha

O milho safrinha possui esse nome por ser plantado após a colheita da safra, entre janeiro e abril. Ele geralmente não é irrigado, por isso chamamos de um cultivo de sequeiro, desta forma, quanto mais cedo o milho safrinha é plantado, maior o volume de chuvas e menor o tempo de seca durante o ciclo. Esta seria a melhor definição de safrinha. Quer saber mais sobre esse tipo de cultivo? Acompanhe. 

Onde plantar o milho safrinha? 

Não é possível realizar esse tipo de cultivo em todo o Brasil, e o mapa ao lado da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra onde são as áreas passíveis de safrinha.

O milho safrinha é, hoje, chamado de segunda safra devido aos níveis de produtividade. Como exemplo disso, na segunda safra de 2016, a Conab informou que a área plantada aumentou 10,3% em relação a 2015. 

No Centro-Oeste e Sudeste, por exemplo, onde a época de semeadura da primeira safra varia de outubro a novembro (e é muito comum que seja feita após a colheita da cultura da soja), entre os meses de janeiro a março a cultura do milho safrinha já deve ter sido semeada, sendo esta a época de plantio normal desta modalidade de cultivo. 

É por isso que o plantio direto ou cultivo mínimo favorece a velocidade da safrinha, tendo em vista que, para o plantio convencional, há a necessidade de operações prévias, o que pode atrasá-lo.

Qual milho plantar na safrinha?

Nos últimos anos, as empresas produtoras de sementes tem feito grandes investimentos em novas cultivares de milho. No geral, as mesas têm optado pelo uso de híbrido simples para a safrinha - que são mais exigentes em condições para expressar todo seu potencial produtivo, apesar da safrinha ser uma época menos favorável para a produção de um híbrido menos rústico.

Quando falamos de cultivares, não existe uma diferença específica entre os destinados a safra de verão e a safrinha. O que vai influenciar na escolha é o ciclo da cultivar, pois dependendo da época do plantio, este afetará significativamente a produção do milho safrinha. Outras características que deve-se ter em mente na escolha da cultivar são: boa estabilidade de produção, resistência às principais doenças de ocorrência na região, alta tolerância das plantas ao acamamento e quebramento, boa formação de palha e baixo índice de grãos ardidos.

A prática tem mostrado, nos últimos anos, que as cultivares de ciclo precoce e ciclo normal apresentam melhores resultados de produção do que as cultivares superprecoces. No entanto, as mesmas ainda devem ser recomendadas para áreas onde possa ocorrer a possibilidade de geadas em final de ciclo produtivo, como na fase de enchimento de grãos. Além disso, este tipo de cultivar é fundamental quando se considera o escalonamento de plantio, dentro da propriedade, para diminuir riscos na produção.

Outro fator importante a ser considerado na escolha das sementes é a resistência às principais doenças de ocorrência na região que será plantada; com o aumento de incidência nos últimos anos, o uso de fungicidas pode não compensar o ganho em produtividade.

Dicas de manejo do solo para o cultivo do milho safrinha

É muito comum em áreas de produção agrícola intensiva, como é o caso da agricultura irrigada e a sucessão de cultura, que  se enquadre perfeitamente o cultivo do milho safrinha e que o solo seja trabalhado de forma intensiva, o que leva a uma degradação mais rápida, caracterizado pelo aumento da compactação, ocorrência de erosão e, consequente, redução de produtividade.

Desta forma, o plantio direto representa a melhor forma de prática conservacionista para a produção do milho safrinha. É um sistema que oferece maior rapidez, pois reduz o número de operações, ainda mais quando consideramos o plantio da safrinha simultaneamente a colheita da safra de verão. Isto permite um plantio o mais cedo possível, obtendo-se o benefício de maior disponibilidade de chuvas ao longo do ciclo produtivo e maior infiltração da água e redução da evaporação pela palhada acumulada na superfície do solo.

Como se planejar para o plantio de milho safrinha? 

O ponto-chave do milho safrinha é o planejamento, principalmente o "quando plantar", pois é sabido que, ao final do seu ciclo, as chuvas já terão passado e a produtividade será afetada pela limitação da temperatura e radiação luminosa. Por isso, pensar em cultivares de primeira safra precoces para favorecer a safrinha é um ponto a ser levado em consideração.

Além disso, o preço do milho e seus derivados é um fator que vai auxiliar na decisão, pois se o valor do milho estiver muito baixo, talvez seja melhor um cultivar mais produtivo, o que pode significar que ele seja um pouco mais tardio. Ficar atento às condições climáticas também pode te dar um bom embasamento e facilitar na hora de tomar decisões.

Como exemplo de como a interação entre a safra e safrinha é importante, a tabela abaixo vem exemplificar a variação do ciclo de produção do milho verde conforme a época de semeadura e a classificação do cultivar. O ciclo do milho safrinha em dias, assim como do milho safra, varia principalmente com a finalidade da produção, classificação do cultivar e época de semeadura:

Epoca Plantio Milho Safrinha

O cultivo de segunda safra tem se mostrado muito vantajoso pelos seguintes motivos:

  • Melhor preço de venda da produção: isso acontece porque a comercialização da produção do milho safrinha é feita na entressafra, quando a demanda é alta e a oferta pequena, tendo em vista que a produção da primeira safra já foi, em sua maioria, vendida. A demanda provoca elevação no preço do milho, tornando-o mais lucrativo para quem produz safrinha, tanto para venda como para uso próprio.
  • Baixa de preço dos insumos: como a safrinha é extratemporal, o preço dos insumos (fertilizantes, defensivos agrícolas e etc.) também está em baixa, pois não é a época comum de procura.
  • Baixo investimento: como o investimento na primeira safra costuma ser maior, principalmente em adubação, muitas vezes, o milho safrinha pode se aproveitar da adubação da primeira safra, dispensando, ou pelo menos reduzindo a necessidade de uma nova.
  • Proteção do solo: após a colheita da safrinha (plantio direto) o solo fica protegido durante o inverno, o que, do ponto de vista da sua conservação, é muitíssimo importante.
  • Rusticidade da cultivar: para ser uma cultivar de milho apta à safrinha, é necessário que ela seja mais rústica, desde o ponto de vista de suportar o estresse hídrico que pode ocorrer ao final da safrinha, à concorrência com plantas daninhas e resistência a doenças. Isso faz com que não seja necessário investir tanto em entradas na área para aplicações, que aumentaria o custo de produção. Desta forma, o milho de segunda safra se mostra mais lucrativo pelo baixo custo de produção.

Por isso, na hora da safrinha, a cultivar ideal fará toda a diferença. E você, ficou com alguma dúvida? É só escrever pra gente pelos comentários, combinado? Até a próxima.