Gramado: Qual a melhor grama para o meu terreno?

08/12/2017 16:31

Os gramados são forragens cuja as espécies têm como hábito comum o crescimento rasteiro. Seja através de rizomas ou estolões, sua multiplicação pode ser feita por sementes, mudas ou tapetes. São importantes para a ornamentação de áreas destinadas ao paisagismo ou mesmo para usos bem específicos, como a prática de esportes, contenção de encostas ou taludes, pistas de pouso de avião, dentre outros. Tem a função de revestir o solo, impedindo a ocorrência de processos erosivos, auxilia na melhoria do conforto térmico e proporcionam um efeito visual e estético agradável em jardins, chácaras, sítios e fazendas. Os gramados estão sendo mais estudados nos últimos anos, principalmente em países desenvolvidos, pois são considerados muito úteis para a preservação do meio ambiente e melhoria da qualidade de vida.

De uma forma geral, as espécies de gramas tem como características principais o crescimento rápido, tolerância ao corte baixo, resistência à seca, pragas e doenças e, em geral, resistem bem ao pisoteio.

Na escolha da melhor grama para jardim, devem ser levados em consideração diversos fatores. A iluminação do local é um fator importante, pois certas gramas precisam de pleno sol para seu desenvolvimento, enquanto outras podem se desenvolver a meia sombra. O tipo de tráfego, ou seja, se haverá trânsito de pessoas, animais, veículos ou máquinas sobre o gramado, fator que determina a intensidade de pisoteio, também deve ser considerado. Muitas das gramas suportam um pisoteio mais intenso, porém outras são mais sensíveis.

Há diversas espécies que podem ser utilizadas na formação de um gramado. Vamos conhecer algumas das principais e comentar um pouco sobre cada uma delas.

Grama batatais (Paspalum notatum cv. Bahia)

Também conhecida por “grama forquilha” ou “grama mato grosso”, possui folhas volumosas e alongadas de coloração verde clara. Pode ser cultivada por sementes, mudas ou tapetes, e tem preferência por lugares a pleno sol, se desenvolvendo bem em clima tropical e com alta resistência a seca. Embora apresente certa pilosidade que causa coceira, é uma das gramas mais utilizadas para jardim, sendo considerada uma das melhores opções. Não tolera o sombreamento e, se colocada nessa condição, não consegue se desenvolver. Se adapta muito bem a áreas onde ocorre intenso fluxo de animais, máquinas ou pessoas, sendo recomendada para áreas públicas, como parques de uma forma geral. Tolera bem solos ácidos e pobres em nutrientes, proporcionando boa contenção da erosão nas áreas que é cultivada. Depois de estabelecida, apresenta crescimento vigoroso, principalmente na época das águas (chuvas), exigindo podas com maior frequência.

Grama Pensacola (Paspalum notatum Flugeé cv. Pensacola)

Embora da mesma espécie da grama batatais, a grama pensacola apresenta folhas mais finas e longas e sem pilosidade. Se adapta muito bem em condições de clima frio, seco e sujeitas a ocorrência de geadas. Possui certa tolerância ao sombreamento e umidade. Tem elevada resistência ao pisoteio e queimadas, sendo inclusive também recomendada para o pastejo de animais, assim como a grama batatais.

É uma das gramas mais comuns na região sul do Brasil. Consegue se desenvolver em vários tipos de solo, porém é recomendada para solos de média e alta fertilidade. É também opção para o controle de processos erosivos.

Além de apresentar grande potencial, como forragem ornamental, também é muito utilizada em projetos de pista de pouso de aviões.

Grama São Carlos (Axonopus compressus)

Também chamada de “grama curitibana” ou “grama missioneira”, adapta-se às regiões de clima temperado, podendo ser plantada em ambiente de sol ou sombreadas, característica que a destaca frente às demais gramas. No entanto, é importante salientar que mesmo assim, ela não tolera o sombreamento total e constante.

Possui folhas largas e lisas, de coloração verde intenso. Em condições ideais, resulta em boa cobertura do solo. Prefere terrenos ricos em matéria orgânica e pH na faixa de 5 a 6. Se plantada em solos pobres, pode resultar em baixo desenvolvimento, não recobrindo totalmente o solo.

Pode ser utilizada tanto para fins de formação de campos esportivos destinados ao golfe, futebol e outros, como para o paisagismo em áreas públicas ou privadas.

Sua principal vantagem é conseguir adaptar-se a ambientes com menor quantidade de luz e também a locais de clima frio, onde podem ocorrer geadas. Tem baixa tolerância à seca.

Grama bermudas (Cynodon dactylon)

Apresenta folhas estreitas de cor verde escuro com aparência semelhante à grama Esmeralda. Se adapta aos climas tropical e sub-tropical, com crescimento rápido. Suas raízes são profundas, conferindo a esta grama maior resistência a seca e ao pisoteio. Sua principal característica é a rápida regeneração, sendo altamente indicada para uso em gramados esportivos, como campos de futebol, onde a utilização é frequente.

Deve ser plantada a pleno sol, em solo com boa quantidade de matéria orgânica; sendo este de baixa fertilidade, deve ser feita correção e adubação com base em análise de solo.

Seu plantio pode ser realizado com sementes, mudas ou tapetes. Não apresenta pilosidade e tem como característica o crescimento muito denso. Durante o período das águas, a necessidade de poda é mais frequente.

Grama mirage 2 (Cynodon spp)

Tipos GramaÉ uma grama transgênica originada a partir da seleção das melhores gramas bermudas do mercado; também conhecida por grama bermuda mirage, de crescimento acelerado e vigoroso, apresenta folhas de textura fina.

Destaca-se ainda pela formação muito rápida, de 45 a 60 dias, forrando o solo em 100%, abafando eventuais ervas daninhas oriundas do banco de sementes natural do solo.

É uma grama que foi melhorada para apresentar excelentes características de recuperação e resistência ao pisoteio, com boa tolerância a seca e ao frio. É bastante indicada para a formação de campos de futebol, golfe e jardins.

Grama esmeralda (Zoyasia japônica)

É a grama mais utilizada no Brasil, porém propaga-se apenas vegetativamente, ou seja, seu plantio só pode ser feito por tapetes ou mudas. Possui um sistema radicular bastante denso, conferindo a ela alta resistência ao pisoteio e grande proteção a encostas sujeitas a erosão. Se adapta bem a diversas condições climáticas.

Apesar da sua ótima adaptação a vários ambientes, não é recomendada para áreas sombreadas, podendo apresentar crescimento desuniforme. Pode ser utilizada também na implantação de gramados para campos de futebol, porém tem uma taxa de recuperação mais lenta do que a grama Bermuda.

Seu crescimento é favorecido em faixas de pH de 6 a 6,5. Possui crescimento lento, o que permite otimizar o tempo entre uma poda e outra e é resistente ao pisoteio.

Para manutenção dos gramados, é recomendada pelo menos uma adubação por ano logo após o período de inverno, quando as plantas voltam a crescer e assim requerem mais nutrientes para seu desenvolvimento. Além disso, deve ser observado o controle de plantas daninhas mensalmente, para evitar infestações. As podas de manutenção devem ser realizadas em média a cada 20 dias, mas deve ser levado em conta a taxa de crescimento no local, o que pode variar em função da adubação e manejo com irrigação.