Batedeira, debulhador ou trilhadeira: Qual a melhor opção?

20/04/2018 13:56

Por Wellington Bernardes

Engenheiro Agrônomo

Batedeira CereaisA colheita de grãos, cereais e sementes é uma das etapas mais importantes para manutenção da qualidade da produção. Separar corretamente o produto final da planta, sem levar resíduos de biomassa (palha) ou causar injúrias é o desafio de muitos produtores. Para o sucesso nesta etapa, é preciso utilizar equipamentos adequados para sua cultura e realidade de produção.

As máquinas agrícolas mais comuns nesta etapa são as batedeiras, as debulhadoras e as trilhadeiras. Com exceção da debulhadora ou debulhador, que é específico para o milho, as trilhadeiras e batedeiras atendem diversas culturas, com algumas restrições.

Mas como saber qual a melhor escolha para sua propriedade rural e cultura agrícola? Confira abaixo as principais características destes equipamentos e em quais culturas são recomendados.

Debulhador

O principal uso dos debulhadores é na cultura do milho, para separação do grão da espiga. Este modelo é denominado semimecanizado, pois geralmente a colheita é manual e debulha mecânica.

Para o funcionamento, o debulhador pode ser acoplado a um trator - pelo seu sistema hidráulico e acionado pelo eixo de potência do mesmo - ou utilizando um motor estacionário.

Os debulhadores trabalham em rotação de 1450 a 1500 RPM e conseguem produzir de 25 a 30 sacos de 60 kg por hora.

Antes de debulhar

Seja para a produção de grãos ou de sementes, a debulha deve acontecer respeitando certas condições para reduzir as injúrias mecânicas.

  • Planta e outras partes devem estar secas;
  • Colheita deve acontecer somente se as espigas estiverem voltadas para baixo, ou seja, dobradas;
  • Espigas facilmente destacáveis da planta;
  • Grãos secos – Grau de umidade do milho deve ser maior que 13% e inferior a 20%.

Cuidado com a máquina

Para obter o melhor aproveitamento da debulhadora, é importante estar ciente das condições ideais de trabalho da máquina; alguns pontos de atenção são:

  • Iniciar a debulha do milho somente quando a máquina atingir sua rotação ideal de trabalho;
  • Verificar a velocidade de rotação para evitar injúrias ou perdas do produto;
  • Para debulhadoras acopladas em tratores: atentar à rotação do motor, caso elevada, grãos podem ser lançados na palha. Geralmente, motores de tratores devem estar em rotação de 540 RPM;
  • Nunca parar o funcionamento do debulhador durante a debulha ou com milho em seu interior;
  • A alimentação com espigas deve ser contínua. Não é aconselhável alimentar com um grande volume – o que pode reduzir a rotação do debulhador – ou colocar poucas espigas.

Batedeira de cereais

As batedeiras geralmente trabalham com grãos de maior granulometria, como o feijão, a soja e arroz e também o milho. A função é parecida, elas conseguem separar o cereal da planta, possibilitando o rápido ensacamento da produção.

Para o acionamento, é possível encontrar no mercado batedeiras que utilizam motores independentes ou que possam ser acopladas a um trator agrícola.

Como funcionam?

As batedeiras possuem um cilindro em seu interior com peneiras; este sistema possibilita a obtenção do grão pelo movimento de rotação. Para algumas culturas, como o feijão-de-corda, é necessária à instalação de pentes para facilitar a extração do grão.

Em média, as batedeiras trabalham com cilindro em rotação de 800 RPM e são capazes de entregar 60 sacas de grãos ou sementes por hora. Quando acopladas, a rotação do motor dos tratores deve ficar entre 1400 e 1800 RPM.

Alguns ajustes no cilindro e em suas peneiras são necessários dependendo da cultura; estas informações estão no manual de cada máquina.

Trilhadeira

As trilhadeiras são comumente usadas por produtores que trabalham com culturas de menor granulometria, como a chia, quinoa, amaranto e trigo.

Porém, este tipo de máquina é versátil e existem modelos que conseguem trilhar cereais maiores, como a soja, sorgo, girassol e o feijão.

Como funcionam?

Assim como as outras máquinas, as trilhadeiras também podem ser acionadas por um motor independente ou acopladas a um trator agrícola.

A separação é feita utilizando a combinação de dois tipos de dentes – redondos e lisos -, mais a utilização de uma polia, uma correia e uma peneira.

Para cada cultura existe um ajuste específico; por esta razão, é recomendado consultar o manual de sua trilhadeira antes da trilhagem.

Antes de trilhar

  • Verificar a umidade da planta;
  • Nivelar a trilhadeira em local plano; a máquina não deve ser utilizada em locais com inclinação;
  • Verificar a combinação de pentes e cilindros ideais para a cultura a ser trabalhada;
  • Escolher a peneira correta para sua cultura.

Cuidados gerais

Investir em máquinas para separação e ensacamento de sua produção de cereais, grãos e sementes é um passo para o aumento da produtividade e qualidade dos produtos agrícolas.

A manutenção destes equipamentos é essencial para aumento da vida útil das máquinas e para contínua operação correta destas.

Além dos cuidados específicos citados acima, cuidados gerais com estes maquinários são práticas que podem assegurar a qualidade da operação.

Cuidados básicos com o maquinário:

  • Alimentação deve ser contínua, sem sobrecarregar ou subutilizar o equipamento;
  • Correta armazenagem das máquinas e seus acessórios, preferencialmente local coberto.
  • Limpeza de todos equipamentos após uso;
  • Manutenções mensais para evitar desgastes de parafusos e polias;
  • Atenção para rotação dos motores, especialmente em máquinas acopladas a tratores.