Sementes sorgo forrageiro

A ampla versatilidade do sorgo o tem levado a elevados patamares na produção de silagem no Brasil ao o contrastar com demais culturas, como a do milho, por exemplo, que é a planta mais empregada no fornecimento de silagem no país.O sorgo tem se sobressaído devido a seu fácil plantio e sua grande capacidade de se adaptar a diferentes regiões, sem perder a qualidade, em várias épocas de plantio. Além do mais, seu rendimento é elevado, não é preciso utilizar suplementos para impulsionar sua fermentação quando pensasse em silagem e suas propriedades não são prejudicadas por isso.

Existem tipos variados de sorgo, com diferentes portes, baixo, médio e alto. Os de porte alto se destacam por serem mais recomendados para silagem, eles geralmente dispõe de cachos abertos e consideráveis quantidades de folhas, em contrapartida possuem menor quantidade de sementes. Entre eles se evidenciam o sorgo forrageiro e dois subtipos dele, sorgo sacarino e sorgo vassoura, de tamanho elevado, ultrapassam os dois metros de altura. Qualquer sorgo sacarino é capaz de ser forrageiro, o que os distinguem é a palha suculenta e adocicada, semelhante a cana-de-açúcar, que o sacarino apresenta. Já o vassoura, tal qual o nome fala, tem panículas em forma de vassoura, muito empregado inclusive para a fabricação de vassouras.

Algumas qualidades agronômicas do sorgo que fundamenta sua utilização como silagem são, produção abundante de forragem, possui alta resistência ao tempo quente e a seca, seu sistema radicular é farto e estável, e sua predisposição de se beneficiar de quase a totalidade do solo é maior. É recomendável esperar 6 semanas após a colheita para que a silagem seja disponibilizada aos animais, pois no início do brotamento, ou logo depois do corte, ela pode estar em condições tóxicas.

Saiba Mais

Ajustar Direção como Decrescente

5 Item(s)

Ajustar Direção como Decrescente

5 Item(s)

Cadastrar

Inscreva-se para receber novidades e ofertas exclusivas: